Mavros

Soldado Traído

Description:
Bio:

Infância – Juventude (0-16 anos)

Carlos nasceu em 16 de março de 1975 na cidade do Rio de Janeiro, filho de pais humildes, porém com fortes valores morais. Seu pai, Jefferson, trabalha em uma oficina mecânica de carros e sua mãe, Renata, é sócia de um pequeno salão de beleza. Carlos tem um irmão, Pedro, 3 anos mais velho que ele, hoje recém-formado advogado.

A infância de Carlos foi relativamente tranquila. Ele não cursou escolas particulares, o que não o impediu de se dedicar aos estudos: ainda que não fosse dos mais inteligentes da sala, sempre se esforçou para fazer seu melhor, conforme educado pelos pais. Costumava usar seu tempo livre para jogar futebol com seus amigos de bairro no campo lá existente e mantido pela comunidade, tendo preferência pelo meio de campo.

Durante a juventude, todavia, Carlos passou a conviver mais e mais com as mazelas sociais existentes. O crescimento do tráfico de drogas na favela próxima fez com que bocas de fumo se estabelecessem na vizinhança, e a criminalidade começou a crescer. Devido a boa formação pessoal, Carlos e seu irmão mantiveram-se afastados desses problemas, o que infelizmente não foi possível para alguns de seus amigos.

Juventude – Adulto (0-22 anos)

Dois fatos chocantes marcaram as decisões profissionais de Carlos. Aos 16 anos, Carlos presenciou sem poder intervir uma gangue entrando na oficina de seu pai e levando um dos carros. Seu pai e seus colegas de trabalho, apesar de não reagirem, apanharam dos assaltantes – Jefferson teve seu braço quebrado (hoje já sadio). Mais tarde, aos 17, Carlos viu um de seus antigos amigos, agora envolvido com o crime, matar outro amigo em uma simples briga de bar. Determinado a intervir contra o que ele considerou como destruidor do seu bairro, Carlos entrou na PMERJ.

Na polícia, Carlos se destacou por sua disciplina e conduta, bem como pelo seu preparo físico e perícia com armas. Sendo bem observado pelos seus superiores, ele foi recomendado a participar de uma palestra sobre o BOPE. Carlos ficou muito empolgado com a palestra proferida pelo Cap. Nascimento (é, o Wagner Moura mesmo), e determinado a entrar na Tropa de Elite.

“Coincidentemente”, todo o processo seletivo correu muito bem para Carlos, chegando sem problemas de documentação ou saúde ao treinamento de campo. Carlos entrou junto com 40 policiais no treinamento, do qual apenas 12, inclusive ele, se formaram. A partir de então, ele passou a integrar a Tropa.

Convém citar que, nas poucas horas de sono durante o treinamento, Carlos começou a ter sonhos… Estranhos. Em um deles, Carlos, após visitar uma espécie de torre, retornou aos seus dias de infância com uma riqueza impressionante de detalhes. Em outro, após visitar a mesma torre, ele se viu ferido por uma bala que parou em seu distintivo. Ele não entendia, ainda, o que essa torre significava.

O Despertar (23 anos)

Uma missão de alto risco no Morro do Dendê se aproximava, e os sonhos estranhos voltaram a mente de Carlos. Durante a missão, ele se viu cercado em fogo cruzado dos traficantes. Cap. Nascimento dava-lhe cobertura de um ponto seguro com uma sniper, mas não conseguia tinha visão para todos os alvos. Carlos tentou recuar por dentro de um prédio e se deparou com um favelado armado, que disparou contra ele.

O tiro, como no sonho de Carlos, atingiu seu distintivo (o qual ele guarda até hoje como amuleto da sorte, e objeto mágico). Nesse momento, Carlos percebeu que estava dentro da Torre com a qual sonhara. Ele percebeu que tudo ao seu redor se movia mais devagar, e sabia que precisava prosseguir. Ele atirou contra o favelado sem sequer mirar, mas o tiro atingiu-o no centro da testa. Ele então avançou por uma escadaria em espiral e, ao chegar ao topo, entrou em uma sala com uma simples mesa de madeira ao centro, tendo vários papéis pregados em sua parede. Sobre a mesa se encontrava seu contrato com o BOPE, não-assinado, e a caneta com a qual seu pai presenteara ao entrar para a Tropa. Ele sabia o que estava para fazer e aceitou seu chamado. Assinou o nome no contrato, e despertou para a Verdade. Carlos se tornou um Mago.

Repentinamente, ele estava no topo do prédio no qual tinha entrado. O helicóptero de extração se aproximava. Cap. Nascimento avisou-o no rádio e ele se preparou para sair dali, ainda confuso com tudo que acontecera.

Ao chegar na base de operações, Cap. Nascimento chamou-o em particular, e explicou-lhe rapidamente o que acontecera, apresentando-se como Silvat. A partir desse dia, Carlos, agora Mavros, foi introduzido a sociedade dos Despertos do Rio de Janeiro sob a tutela de Silvat. Uma vez concluído seus 3 meses de apostasia imposto por Silvat, Mavros iniciou seu treinamento na Flecha Adamantina, pois considerou a Ordem uma extensão natural de suas aspirações.

A Flecha – Atualidade (24-25 anos)

Mavros foi treinado e iniciado nas atividades da Flecha em paralelo a sua vida na Tropa de Elite, o que não se constituiu num grande problema devido a tutela e auxílio de Silvat. Ele ingressou na cabala Para Bellum, formada exclusivamente por Flechas cuja vida mundana se associava a atividades militares.

Chegou, então, um pedido de intervenção na cidade de Fortaleza. Após reuniões da Flecha, a cabala Para Bellum foi escolhida para conduzir a instalação da Ungula Draconis na cidade, até então sem representação. Utilizando-se de contatos e recursos mágicos, Silvat e Mavros foram deslocados de suas funções no BOPE para, juntamente com o resto da cabala, formar um grupo de elite na polícia de Fortaleza.

Seria uma viagem tranquila, não fosse o traidor. No caminho do aeroporto ao Consillium de Fortaleza, a van que transportava a cabala e seus equipamentos (tanto armas como mágicos), foi sabotada. O segundo-no-comando, Iliat, que ia dirigindo, parou a van repentinamente e se atirou porta a fora. Antes que a cabala pudesse reagir, a van explodiu. Ao se recuperar, Mavros se viu em um inferno. Seus companheiros, exceto Iliat, estavam todos aparentemente mortos. Silvat, agonizante, o chamou e entregou-lhe sua pistola e a carta da Flecha Adamantina ao Consillium fortalezense. Não houve tempo para maiores explicações.

Mavros

Fortitudine - Deuses e universos slave_yuri Gustavo_C